Francisco Marques de Góes Calmon

Francisco Marques de Góes Calmon: ex-Governador da Bahia

A personalidade baiana Francisco Marques de Góes Calmon, nasceu em Salvador no final do século XIX, filho de Antônio Calmon du Pin e Almeida e de Maria dos Prazeres de Góes Calmon, e casado com Maria Julieta Maia de Góes Calmon, com quem teve 10 filhos. Ele foi jurista, economista, banqueiro, professor e político, atuando como Governador da Bahia no período de 1924 a 1928. Sua gestão foi marcada por significativos avanços no desenvolvimento deste Estado, no saneamento das finanças públicas e, notadamente, na educação básica, oportunidade em que difundiu o ensino médio em diversos municípios da Bahia, em parceria com o educador, e também baiano, Anísio Teixeira. Destacou-se, igualmente, em obras construtivas de estradas e na criação do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia. Em sua trajetória, atuou como Ministro da Fazenda Fiscal do Banco da Bahia, diretor-presidente do Banco Econômico da Bahia e especializou-se, na Europa, em finanças e conhecimentos jurídicos.

Uma notável e rara coleção do acervo pessoal, desse período, do ex-Governador Francisco Góes Calmon, é custodiado pelo Arquivo Histórico do Museu Eugênio Teixeira Leal, administrado pela Fundação Econômico Miguel Calmon. Nesta oportunidade, esses documentos estão sendo disponibilizados ao grande público, após passagem por processamentos técnicos de conservação e digitalização. Essa benéfica contribuição à educação brasileira é decorrente de premiação com apoio financeiro do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura e da Fundação Pedro Calmon, (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionado pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

 

Vale destacar que essa premiação é uma justa e merecida homenagem a este ilustre filho da Bahia, por sua destacada atuação em prol da melhoria social e econômica deste Estado, e à Fundação Econômico Miguel Calmon/Museu Eugênio Teixeira Leal, que tanto tem dado sua efetiva contribuição ao processo de desenvolvimento socioeducativo baiano. Isto resultante do atendimento a pesquisadores e visitantes, assim como no oferecimento de diversos programas, que foram e são desenvolvidos de forma intensa e regular, como programação fixa, com periodicidades diferenciadas e, desde 2001, tem gerado resultados positivos nas diversas faixas etárias, níveis de escolaridade e classes sociais.

Desta forma esta Instituição museológica cumpre a sua função social, em uma relevante contribuição ao desenvolvimento educativo e cultural da Bahia.

 

Ângelo Calmon de Sá
Patrono do Museu Eugênio Teixeira Leal
Neto de Dr. Francisco Marques de Góes Calmon

 

img53
img53

Describe your image

img61
img61

Describe your image

img58
img58

Describe your image

img53
img53

Describe your image

1/12

Acima, algumas das imagens digitalizadas do acervo e seus aspectos de conservação.