O Projeto

Conservação e Acessibilidade à Coleção
Governador Francisco Góes Calmon

A Fundação Econômico Miguel Calmon/Museu Eugênio Teixeira Leal, nestes 37 anos em funcionamento, ininterruptos, tem prestado relevantes serviços socioeducativos e culturais à Bahia, através do desenvolvimento de ações integradas, e de modo interdisciplinar, pelo seu Arquivo Histórico, Biblioteca Innocêncio Calmon, Cineteatro Góes Calmon, Galeria Francisco de Sá, Galeria Prof. José Calasans e Laboratório de Conservação Frank Sá. 

Desses Setores destaco, aqui, o Arquivo Histórico que é guardião de 11 metros lineares de documentos, que revelam e testemunham fatos importantes da história da Bahia e do Brasil, nos seus aspectos políticos, sociais, econômicos e culturais. Assim custodia coleções de valor arquivístico bastante relevantes, como os arquivos de Innocêncio Calmon, de Miguel Calmon Sobrinho, do Prof. José Calasans e de Paulo Maciel, dentre outros. Desse conjunto de documentos ressalto a Coleção Governador Francisco Marques de Góes Calmon que, além de proeminente político, foi também professor, historiador, advogado e banqueiro. 

Essa coleção de documentos pessoais do ex-Governador Francisco Marques de Góes Calmon, recebeu processamentos técnicos de conservação preventiva e digitalização para ser, agora, disponibilizado ao grande público de modo virtual e presencial. Ações estas que foram viabilizadas através de premiação com apoio financeiro do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura e da Fundação Pedro Calmon, (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionado pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Todo esse acervo, bastante diversificado, e composto por manuscritos, datiloscritos e fotografias, é original, inédito, em fontes primárias e de relevância histórica e sociocultural. É composto por acervo pessoal de documentos, correspondências enviadas e recebidas, carteira de sócio, cadernetas com anotações diversas e fotografias antigas, produzidos nas primeiras décadas do século passado. Entretanto, mesmo com sua singular importância como testemunhos da história brasileira, nunca foi estudado por pesquisadores, especialistas, nem pelo grande público.

Portanto, essa premiação possibilitará que o mesmo possa ser acessado para utilização e embasamento de estudos diversos, inclusive acadêmicos em mestrados e doutorados, e que efetivamente contribua com a educação básica, nos ensinos fundamental e médio. Isto, para além de salvaguardar a memória de importante segmento da história brasileira.


Luiz Carlos de Andrade Ribeiro
Diretor Presidente da Fundação Econômico Miguel Calmon.

 

Museu Eugênio Teixeira Leal e Lei Aldir Blanc Bahia:
uma parceria de futuro

A Lei Aldir Blanc proporcionou inúmeros benefícios à cadeia produtiva cultural brasileira, durante a pandemia do Covid-19, com premiação de projetos apresentados por pessoas físicas e jurídicas. Assim, essa lei está sendo de fundamental importância para dinamização da cultura; preservação e divulgação do patrimônio, material e imaterial; disseminação do conhecimento; financiamento e auxílio emergencial a trabalhadores da área cultural, empregabilidade temporária e incremento da economia nacional. Esse prêmio tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e Fundação Pedro Calmon, via Lei Aldir Blanc, direcionado pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

No caso específico, da Fundação Econômico Miguel Calmon/Museu Eugênio Teixeira Leal, a Lei Aldir Blanc Bahia propiciou a disseminação de documentos pessoais de um ex-Governador deste Estado, através do projeto Conservação e Acessibilidade à Coleção Governador Francisco Góes Calmon. Esta proposta premiada tem por objetivo favorecer a pesquisa desse acervo e sua divulgação através de uma exposição virtual, para além de outras mídias, para acesso à informação e significativa contribuição à retratação da história baiana, através de documentos inéditos distribuídos em cinco segmentos: História Pessoal, Cargos Políticos, Cargos Administrativos, Processo Documental e Bibliografia Relacionada.

Desta forma proporcionar a difusão do conhecimento documental, possibilitando o acesso de toda sociedade, a um recorte histórico de representação política, econômica e social na Bahia, de modo híbrido – presencial e virtual. Assim, a concretização deste projeto possibilita que um acervo de grande valor histórico e social permaneça à disposição de pesquisadores, estudantes e da comunidade em geral, constituindo-se em mais uma ação de considerável relevância desenvolvida por esta Instituição.

O prêmio gerou outro grande benefício ao municiar este Museu com equipamentos diversos. Estes, são necessários ao tratamento técnico e conservação dos acervos museológicos, arquivísticos e bibliográficos, e que, após a finalização dessa etapa, serão utilizados em outras atividades técnicas museológicas, por muitos anos. 

Portanto, essa premiação ficará eternizada gerando muitos benefícios à sociedade, e colaborando para que esta Instituição continue cumprindo a sua função social, em uma constante contribuição com a melhoria da educação e cultura da Bahia. 


Eliene Dourado Bina 
Museóloga e Pedagoga
Diretora Executiva do Museu Eugênio Teixeira Leal